Páginas

29 de junho de 2006

Monólogos à dois...

- Queria escrever sobre a felicidade...

- Que tal deixar para amanhã?

- Hummmm... É, amanhã pode ser um bom dia para falar sobre a felicidade.

- ...

- Poxa, mas já passou da meia-noite portanto já é amanhã. É, quero escrever sobre a felicidade agora.

- Mas o que diabos você vai escrever?!? Por acaso você sabe o que é felicidade e quer compartilhar com os outros?

- Hummm... pergunta difícil. Não sei exatamente o que é felicidade. Sei que as vezes me sinto feliz. As vezes.

- E dai? O que eu tenho com isso?!?

- Oras, sei lá. Estou feliz e quero escrever. Mas discutir com você já está acabando um pouco com a minha felicidade. E tem gente que diz que a felicidade é contagiante... acho que o contrário é mais verdade.

- ... Poxa, não é bem assim... Me fala sobre essa sua felicidade ai, então!

- Não sei o que é. É simplesmente uma vontade de sorrir. Dar um oi para os amigos. Viver, de uma forma bem vivida.
Mas não é sempre que se está feliz. Também não dá. A tal da felicidade vem em doses. Um "bom dia" sincero por exemplo é um pouco de felicidade compartilhada. O horário de ir embora do trabalho é uma felicidade diária.. hehehe.


- Putz, nem bem começou o dia e você já está falando em ir embora?

- Ah, é sempre bom ter uma motivação para começar o dia. E saber que em cerca de 8 horas eu vou poder fazer alguma outra coisa mais interessante, já é o suficiente para me manter animado. E isso me fez pensar, além de felicidade eu também quero falar de esperança...

3 comentários:

Lis disse...

Felicidade... lembrei agorinha de uma crônica, cujo tema era essa tal felicidade. Nele era reforçada a idéia de que, seríamos muito mais felizes caso não tivessemos memória...
Somos escravos de um tempo que nos torna infelizes. Ou estamos saudosistas com o passado, ou estamos planejanto o futuro, viver o presente é uma perda de tempo. Estamos sempre ocupados demais para perceber quantas vezes somos felizes...

Anônimo disse...

Adorei o texto lembra as nossas conversas. é bom voltar a receber as tuas visitas e poder rir com das nossas buscas constantes :-) Bjus FABI

Anônimo disse...

Esse blog lembra o amor da minha vida. Já tentei me curar, já tentei esquecer, já tentei fugir e nada diminuiu o que sito.

Esse amor é como uma ferida que nunca fecha, nunca passa. Mas tem que ter corágem para viver um amor de verdade.